Pesquisar Pesquisar.org


+Acessadas Categoria

Mensagens de Reflexão

Vivemos todos em único planeta

Gif da mensagem


No ultimo dia 26/12/2004, ondas gigantes causadas pelo mais devastador terremoto do mundo em 40 anos varreram diversas áreas costeiras ao longo do Sudeste da Ásia.
Milhares de pessoas foram dizimadas e as que sobreviveram, sentem falta de comida, água, energia, remédios, etc., também enfrentam a luta contra infecções de doenças como elefantíase, cólera, febre tifóide, hepatite, bronquite, pneumonia, malária, meningite e febre hemorrágica, pois os hospitais não possuem as mínimas condições de atendimento, enfim, a calamidade se instaurou na Ásia. Imediatamente órgãos internacionais, como a Cruz Vermelha, a ONU, e diversas autoridades entre elas o papa João Paulo 2º divulgaram apelo de emergência, para que todos os paises do mundo colaborassem e fizessem doações generosas em dinheiro, ou seja, um amplo movimento de solidariedade internacional se fez necessário para tentar amenizar uma crise humanitária sem precedentes.

Mediante o acontecido, será que não podemos tirar profundas lições, nos levando a ter um exame de consciência, pois, todos nós temos sentimentos, isso é ponto pacifico, então quando uma comoção acontece, em função de um fato inesperado, nosso instinto de imediato nos leva a ajudar, nos tornando verdadeiros seres humanos, esquecemos de rancores, de maldade, do egoísmo exacerbado, do eu e sim de nós, pois, no momento da dor do sofrimento, surgi a necessidade urgente da solidariedade, independentemente de quaisquer obstáculos que possam existir.

Então, porque, essa violência sem tamanho que assola nosso mundo, cadê essa solidariedade que todos nós sabemos que existe dentro de cada um, que por algum motivo fica escondido em nosso intimo e quando uma tragédia acontece, ela vem a tona, será que só tornamos filho de um único só Deus quando somos tomados pela comoção? Pelo que ultimamente estamos vivenciando a resposta é afirmativa, pois, passados esses momentos de profunda dor, voltamos a ser “eu” e deixamos o “nós” de lado, ficamos rancorosos, com o coração cheio de magoa, vivemos com aquele egoísmo exacerbado, provocamos choques de interesses, conflitos e acirramento de competição, é uma pena, pois Deus nos mostra sempre o caminho, como demonstrou com o acontecido, basta então, usufruirmos, da melhor maneira possível, do caminho oferecido.

Todos nós devemos ter em mente que por mais que tentem separar a humanidade como povos definidos por barreiras geopolíticas, étnicas, sociais, sexuais, filosóficas, religiosas, lingüísticas, etárias, culturais, etc; seremos sempre um único povo, uma única raça humana, podemos ser como irmãos em litígio, que se ignoram ou se atacam; mas, de qualquer forma, sempre seremos irmãos. O que quer que venha a acontecer com qualquer um de nós, em qualquer parte do mundo, seja um bem ou mal, repercutirá na vida de todos, em maior ou menor proporção.

Desta forma, não precisamos esperar que mais uma catástrofe venha acontecer, para entendermos o significado da palavra, amor ao próximo e solidariedade, basta estarmos dispostos a nos reeducar e reaprender, colocando em prática momentaneamente a súplica de São Francisco de Assis que diz: Onde houver ódio, que eu leve o amor, Onde houver ofensa, que eu leve o perdão. Onde houver discórdia, que eu leve a união. Onde houver dúvida, que eu leve a fé. Onde houver erro, que eu leve a verdade. Onde houver desespero, que eu leve a esperança. Onde houver tristeza, que eu leve a alegria. Onde houver trevas, que eu leve a luz!

Autor da mensagem: Mazenildo Feliciano Pereira

Contribuíção: Denise Carreira

Envie a um amigo
Envie a um(a) amigo(a)
Contribua com sua mensagem  Contribua com sua mensagem

Não foi possível ler dados do banco de dados.
Favor tentar mais tarde ou avisar ao administrador


Warning: pg_fetch_array() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/pesquisar/www/cms/db.php on line 209
Luz, Vida e Amor
Autor:   Francisco Campos de Carvalho
Copyright © 2004-2018 - W W W . P E S Q U I S A R . ORG - Todos os direitos reservados.